Mantenha Sua Cabeça Erguida e Seus Olhos Abertos

Por Brian Dolan, Estrategista Chefe de Mercado Nas minha Perspectivas Globais de Mercado para 2016,defendi que os investidores devem olhar além das turbulências de curto prazo do mercado e manter o foco no quadro geral. (As Perspectivas Globais de Mercado também estão disponíveis em formato webinar e podcast.) Nesse quadro geral, o crescimento mundial deverá subir em relação a 2015 (+ 3,5% em 2016 vs. 3,1% em 2015); as taxas de juros deverão permanecer excepcionalmente baixas; e não veremos qualquer inflação. Em circunstâncias normais, isso seria considerado um ambiente "A Menina e os Três Ursos": nem demasiado quente, nem demasiado frio; na medida certa.

Concentre-se no Quadro Geral

Mas os mercados mundiais continuam com espasmos. Em minha perspectiva global, eu minimizei a importância da volatilidade nos mercados chineses, entendendo essa volatilidade como mais uma consequência da bolha de investimento em varejo que estourou no verão de 2015, agravada por erros oficiais no mercado.  Mais importante, eu destaquei a total ausência de qualquer relação histórica significativa entre as bolsas chinesas e os outros grandes índices globais:

Chinese Stock Market

(Uma correlação próxima de zero indica que não há uma relação estatística entre os dois índices, o que significa que os movimentos de um índice têm pouco ou nenhum significado para os movimentos do outro.)

Olhando além da China, encontramos perspectivas de crescimento igualmente modestas, mas estáveis, nas principais economias desenvolvidas. Antecipo novos movimentos de redução das taxas de juros pelo Banco Central Europeu (BCE) e pelo Banco do Japão (BOJ) nos próximos meses, o que deverá melhorar as perspectivas econômicas e de mercado nessas regiões. Antecipo também que a Reserva Federal dos EUA acabará dando sinais no sentido de uma menor subida das taxas, em maior sintonia com os atuais preços de mercado, de apenas duas subidas neste ano.

Por ora, os mercados emergentes (ME) continuam, sem dúvida, sitiados, mas os principais causadores da contração dos ME, a força do dólar americano (USD) e a contração do mercado de mercadorias, não deverão, na minha opinião, acentuar-se.  Provavelmente, no entanto, também levará vários meses (no mínimo) para que os ME estabilizem. Eu antecipo que, ao longo do ano, a dissipação das expectativas de aumento de taxas pela Reserva Federal também limitará a subida do dólar americano, favorecendo a estabilização dos ME.

Não Veja Apenas os Resultados do 4º Trimestre

Analisando os mercados norte-americanos em particular, os resultados do 4º trimestre de 2015 ainda estão muito presentes. Antes de se deixarem desencorajar pelos analistas que falam dos resultados negativos, os investidores devem tentar compreender as causas deste ambiente de resultados fracos. A contração dos resultados resultou, acima de tudo, da valorização do dólar americano e da desvalorização do petróleo. A tendência de subida do dólar parece ter atingido o pico em novembro/dezembro de 2015 (como pode ver no gráfico do dólar abaixo), embora a moeda americana ainda não tenha tido qualquer recuo significativo. Nos próximos meses, antecipo uma suavização do USD à medida que os mercados abandonarem as expectativas de subida das taxas pelo Fed.

US Dollar Index

Fonte: Bloomberg; DriveWealth

 

Os preços do petróleo atingiram níveis historicamente baixos apenas na semana passada. E, apesar de não haver sinal de uma recuperação iminente, os estudos de momentum sugerem que a mais recente queda é excessiva e potencialmente divergente (os estudos de momentum não confirmam novas quedas de preços). Em uma perspectiva adversa, os chamados "especialistas" estão agora saindo da toca para alertar sobre os riscos de impacto negativo do petróleo. Sério?

Em uma perspectiva setorial, a contração acentuada dos preços do petróleo deverá ser extramente negativa para os ganhos do setor energético (o que não surpreende ninguém; isso já foi devidamente acomodado). Os rendimentos do petróleo e do gás deverão registrar um declínio de 73% no 4º trimestre. No entanto, fora do setor energético, a má notícia não é tão ruim assim. Excluindo o setor da energia, os lucros para as empresas do S&P 500 deverão cair apenas 1,6%. Não é exatamente o cenário "queda livre, recessão de lucros" de que, muito provavelmente, vamos ouvir falar nas próximas semanas.

Estratégias de Investimento

Mantendo uma visão de longo prazo e aproveitando, potencialmente, uma recuperação no curto prazo, continuo fortemente concentrado em ações. A minha opinião é sustentada pelas expectativas de taxas de juros baixas nos próximos anos, deixando poucas alternativas às ações para a criação de retornos significativos. Prefiro me concentrar em índices de ações dos mercados desenvolvidos, mas também fortalecer ou construir uma exposição de longo prazo aos mercados de ações dos ME.

Além de não entrarem em pânico e aguardarem que a tempestade passe, que mais podem os investidores fazer para tomar partido das oportunidades que os mercados nos apresentam? Aqui estão algumas ideias:

  • Realocação de ativos: Os investidores que possuem investimentos em obrigações deverão ponderar a possibilidade de trocar esses ativos por ações. Tendo as taxas de juros caído no início de 2016, os preços dos fundos de obrigações deverão ter subido. Uma mudança de alocação poderia aproveitar esses lucros e redirecioná-los para ações a fim de aproveitar as quedas de preços.
  • Invista dinheiro livre: Dependendo de suas circunstâncias, você pode estar esperando um bônus de fim de ano ou um reembolso fiscal, ou ambos. Agora é a hora de planejar cuidadosamente o que você vai fazer com esse dinheiro, enquanto sua cabeça ainda está fria e o dinheiro não está queimando em seu bolso. Se você sempre desejou começar a investir mas nunca teve tempo para isso, agora poderá ser o momento certo para investir uma parte desse dinheiro que não estava sendo utilizado.
  • Mantenha o seu plano de investimentos: Se você está investindo através de um plano de depósito salarial normal, como um 401k, um SEP, ou outro plano de poupança de base laboral, mantenha esse rumo. Se possível, aumente suas contribuições - ou seja, se você puder pagar e estiver autorizado. Suas contribuições mais recentes estão sendo investidas a custos mais baixos, reduzindo a base de custo global de seus investimentos.

Acima de tudo, lembre-se que o mercado não é a economia. O velho ditado afirma que "o mercado previu corretamente 9 das últimas 4 recessões".  Mantenha o seu foco no quadro geral e em seus objetivos de investimento de longo prazo.