Vamos Falar Sobre Análise Técnica

Por Kayleigh Yerdon, Universidade de Cornell Em postagens no blog das últimas duas semanas, fornecemos aos iniciantes esboços para ambas análises qualitativas e fundamentais. Nós explicamos que a análise qualitativa é na maioria das vezes subjetiva – no que diz respeito às práticas de negócios e produtos da empresa – e a análise fundamental é na maioria das vezes numérica – referente aos lucros e vendas da empresa. Conduzir estes dois tipos de análise simultaneamente pode ser de grande ajuda para investidores que estão pensando em investimentos futuros. Entretanto, há mais um tipo de análise com a qual temos que nos atentar: Análise técnica.

A análise técnica é menos que um resumo dos componentes de negócios, e mais referente ao preço das ações de uma empresa. Analistas técnicos simplesmente estudam a movimentação do preço passado da ação no mercado. Apesar disso ser muito complicado e possuir diferentes linhas de ajustes e previsores, é importante lembrar que, em um nível mais básico, estamos interessados apenas na quantidade das participações de ações compradas e vendidas. Isso é apenas uma introdução à análise técnica. Apesar dessa lista não estar completa com tudo que você precisa considerar na sua pesquisa, esperamos que ela defina uma base para seu entendimento básico sobre análises técnicas.

  1. Gráficos Para começar nossa análise técnica, precisamos iniciar com um gráfico das movimentações passadas e preço da ação. Você pode encontrar gráficos simples a respeito do histórico da ação em diversos sites de investimento ou de informações como Yahoo Finance ou StockCharts.com. Muitas vezes, ferramentas de análise técnica mais avançadas podem ser encontradas criando contas em plataformas especializadas, como a Bloomberg.

Por enquanto, podemos começar com o básico, gráficos gratuitos que podemos encontrar na internet. Geralmente, investidores tendem a usar gráficos de linha, de barra ou de velas. Gráficos de linha são muito simples: Eles traçam as oscilações de preço da ação conforme o tempo com uma linha. Então, os gráficos de barra fornecem ao investidor um pouco mais de informação, incluindo barras que representam um período de tempo pré-selecionado: Uma hora, um dia, uma semana e etc. Cada barra possui duas listas de controle diferentes – a marcação da esquerda indica o preço de abertura, e a da direita indica o preço do período de fechamento. Além disso, gráficos de barra são úteis porque cada barra é colorida em verde ou vermelho. Enquanto o vermelho indica uma queda nos preços durante o período representado, o verde indica um aumento.

Finalmente, gráficos de vela são similares aos gráficos de barra no uso de cores e também na indicação dos períodos de abertura e fechamento. Entretanto, no lugar de simplesmente usar listas de controle para indicar essas aberturas e fechamentos, os indicadores são colocados em um “corpo” (essencialmente uma caixa que conecta as listas de controle de abertura com os de fechamento). A cor de preenchimento desses “corpos de velas” varia de acordo com análises técnicas da página, mas geralmente indicam "períodos de alta” ou “períodos de baixa”. As velas que não estão preenchidas (com corpos vazios) geralmente indicam que o preço da ação subiu, ou “fechou em alta”. As velas que estão preenchidos (com cores sólidas) tipicamente significam que o preço da ação caiu e “fechou em baixa” durante aquele período de tempo.

Como sempre, é bom se familiarizar com os tipos de gráficos que você está usando, assim você pode entender sua análise completamente e começar a buscar tendências.

  1. Período de Tempo

Quando estiver escolhendo gráficos para sua análise, certifique-se de considerar os prazos que você está procurando. Lembre-se: você pode checar quantos prazos quiser! Suas barras e velas podem representar semanas, dias e até mesmo alguns minutos. Para analisar ações, é importante olhar bem para ambos históricos, longo e curto prazos, para que se tenha uma ideia geral da movimentação das ações.

  1. Tendências

Depois que descobrimos os gráficos e prazos corretos, podemos começar a procurar por tendências nos dados. Isso significa que queremos identificar padrões nas variações de preço das ações no decorrer do tempo. As duas tendências mais comuns são as de alta e baixa. As de alta significam que o preço da ação geralmente sobe durante um período de tempo, enquanto as tendências de baixa mostram em geral uma diminuição no preço da ação. Essas tendências podem ser vistas mais facilmente com linhas de tendências – essencialmente desenhando essas linhas nos gráficos para explicar os padrões de tendência. Em conjunto com ambas análises qualitativas e fundamentais, essas linhas de tendência podem ser muito úteis. Imagine que você encontrou uma tendência de alta logo após o lançamento de um novo produto. Você poderia parcialmente atribuir que essa tendência de alta é devida ao lançamento do novo produto. Tendências como essa podem lhe dar mais embasamento a respeito das condições que causaram esse aumento na ação, o que pode ajudá-lo a predizer melhor os movimentos no futuro.

Conforme você se aprofunda nas suas técnicas de análise, você aprenderá mais a respeito de tendências e padrões que poderão ajudá-lo a entender melhor os movimentos do preço dessa ação no passado. Essa é uma parte muito importante de uma análise técnica, então comece dominando linhas de tendência e continue fazendo sua pesquisa!

  1. Volume

Em muitos sites de gráficos, como Yahoo Finance, você pode conseguir informações a respeito do volume de participações negociadas durante um período de tempo em particular. Quanto maior o volume, mais ativamente a ação é negociada durante esse período de tempo. Então, se a negociação da ação está a um baixo preço e em um volume muito alto, isso pode indicar um declínio na demanda dessa ação. O volume também pode ser relacionado às tendências. Qualquer tendência, particularmente com um volume alto está destinada a ser uma tendência “forte”, o que significa que ela pode continuar por um período longo de tempo ou pode estar motivada por um amplo sentimento. Entretanto, se o preço da ação pula em um dia, mas mostra um volume total muito baixo, isso pode deixar de indicar uma forte tendência. Portanto, é importante considerar o volume de negociações na sua análise técnica, assim isso pode ajudá-lo a medir a força das tendências encontradas.

  1. “O Mercado Sabe Mais”

Os apoiadores das análises técnicas acreditam que os preços de Mercado deveriam ser os indicativos mais relevantes do sucesso de uma ação. Entretanto, muitos críticos das análises técnicas avisam que ao olhar os eventos passados não deveria facilitar a previsão do futuro, já que o mercado sempre muda de maneira imprevisível. Para muitos investidores, o melhor é exercitar o cuidado com análises técnicas e saber que as informações e saber que informações passados de mercado podem não ser um bom indicador solo a respeito do sucesso futuro de uma ação. Ao contrário, é bom considerar que os movimentos do mercado com referência a ambas análises qualitativas e fundamentais. Fazendo isso, você poderá colocar mais razão por trás dos movimentos que você vê nas suas análises técnicas, o que pode ajudá-lo a interpretar melhor os efeitos das práticas de negócios de uma companhia no futuro.

Em geral, é melhor realizar sua análise com uma mentalidade bastante cética e completa. Ao encontrar os tipos de gráficos mais adequados para você e também aplicando tendências que você vê nas práticas das companhias, você pode conseguir um panorama mais completo sobre a flutuação dos preços da ação, no jeito que ela ocorre.

Agora seu guia em análises está completo. Esperamos que as últimas semanas tenham lhe fornecido você no mínimo uma ferramenta básica para sua pesquisa em investimentos. Lembre-se: Essas semanas não são totalmente completas e você deve tentar encontrar o maior número possível de informações sobre uma empresa e suas ações, o máximo que puder. Boas pesquisas, investidores!