Esperando um bônus? Parte 2: Como Começar a Investir

Por Brian Dolan, Diretor de Educação Financeira Em meu artigo anterior,eu afirmei que as pessoas que estão na invejável posição de esperar um bônus deverão analisar a possibilidade de investir parte desse dinheiro em seu futuro financeiro a longo prazo. Meu princípio pessoal é investir, pelo menos, metade de qualquer bônus, mas todos devem tentar investir tanto quanto puderem.  A ideia, especialmente se você é jovem e está agora começando, é construir uma base de investimento que possa crescer nas próximas décadas através do poder d capitalização.

Se você gosta da ideia de investir uma parte de seu bônus, é possível que você não saiba como começar a investir. A informação disponível sobre investimento é tanta que ela pode se tornar confusa e deixá-lo sem saber o que fazer. Mas ficar parado não é solução. Confira alguns passos rápidos para iniciar sua viagem no mundo do investimento. (Para ideias mais pormenorizadas sobre os primeiros passos do investimento, confira o Roteiro do Seu Futuro Financeiro.)

1. Abra uma conta de corretagem: para investir em títulos, você precisa ter uma conta de corretagem para comprar, vender e manter seus investimentos. Uma conta de corretagem é semelhante a uma conta bancária, mas tem títulos mobiliários (ações, obrigações, ETFs) em vez de dinheiro. Certifique-se de que abre sua conta num corretor oficialmente registrado e regulamentado. Quando depositar fundos em sua conta de corretagem, você está pronto para começar a investir.

2. Decida quais as classes de ativos nas quais você irá investir (alocação de ativos): Para a maioria dos investidores, as duas principais classes de ativos são as 'ações' e as 'obrigações'. As ações são consideradas mais arriscados do que as obrigações, mas também podem gerar retornos de investimento mais elevados do que as obrigações. (Confira abaixo a tabela com as taxas anuais

stock market return

de retorno para várias classes de ativos.) Analise seu horizonte temporal de investimento e sua tolerância ao risco antes de decidir um plano de alocação de ativo . Se você é jovem e tem um horizonte de investimento mais longo, talvez você queira investir mais em ativos de maior risco, como ações. Como exemplo, digamos que você decide dividir seus ativos em 80% de ações e 20% de obrigações.

3. Agende Seus Investimentos: Normalmente, quando você está investindo um montante único, é uma boa ideia dividi-lo em partes menores e investi-lo ao longo do tempo (por exemplo, 25% a cada mês ou a cada trimestre), ao invés de investir tudo de uma só vez. Dessa forma, você poderá reduzir as chances de investir numa alta do mercado e aumentar as chances de adquirir o mesmo investimento a um custo menor. Esta técnica é chamada de 'Custo Médio. ' A ideia é que ninguém consegue "acertar no calendário" do mercado (definir altas e baixas) o tempo todo, e por isso é melhor investir com um calendário fixo e deixar o mercado seguir o seu caminho. O mais provável é você comprar ativos a preços mais altos e mais baixos, resultando em um custo médio menor do que se você investisse tudo de uma vez. E você não vai ter o estresse de tentar adivinhar o mercado. Lembre-se de que você está investindo a longo prazo, pelo que não importa a situação do mercado hoje ou amanhã, mas sim daqui a 20 ou 30 anos.

4. Selecione seus investimentos: Este é o último passo antes de realmente investir o seu dinheiro. Embora algumas pessoas pensem que esta é a parte mais difícil, é possível fazê-la de um jeito muito fácil e simples. Não se deixe impressionar pelo enorme número de ações e obrigações individuais nas quais você pode investir. (Escolher ações e obrigações individuais é um processo que exige mais envolvimento e não cabe no âmbito deste artigo.) Em vez disso, você pode se concentrar nos índices dos mercados globais, que estão prontamente disponíveis através de ETFs (Exchange Traded Funds ou Fundos de Investimento em Índices -saiba mais sobre ETFs). Os ETF são cestas de ações ou obrigações que são negociadas como partes de ações individuais. Há uma grande variedade de ETFs com diferentes focos estratégicos, como os mercados globais (por exemplo,  mundo desenvolvido/emergente), os mercados regionais (por exemplo, Ásia, América Latina), os mercados nacionais (por exemplo, China, Alemanha), e setores de mercado (por exemplo, tecnologia, energia).

Exemplo: Você pode pensar que o melhor é investir em ações de tecnologia. Você podia escolher uma só empresa de tecnologia, como a Apple (AAPL) ou a Baidu, e esperar que tudo corresse bem. Ou você poderia investir em um ETF focado em tecnologia, como o ETF Vanguard Information Technology (VGT), que contém 386 ações de tecnologia. Ao comprar o ETF, você garante maior diversificação do que se comprasse uma única ação.

5. Invista em sua estratégia: Agora é hora de colocar seu dinheiro para trabalhar. Invista através de sua corretora, de acordo com sua estratégia de alocação de ativos e com sua seleção de títulos individuais. Se você está investindo um montante fixo, escale o tempo de seus investimentos em intervalos regulares e em quantidades iguais. Tente não ser pego nas mudanças cotidianas do valor de sua carteira. Mantenha-se focado no longo prazo. Faça ajustes periodicamente para permanecer dentro de sua estratégia de alocação (reequilíbrio), talvez trimestral ou semestralmente.

Se você receber um bônus, parabéns pelo seu trabalho duro! Se você puder investir uma parte desse bônus, parabéns por construir seu futuro financeiro!

Mais à frente, você irá olhar para trás e ver que fez a escolha inteligente quando decidiu ignorar o novo smartphone e investir em seu futuro.