Time And Punishment: How To Be Less Busy And Get Your Life Back

*Este artigo foi publicado originalmente na página forbes.com de Neale Godfrey

“Estou tão ocupado...”

“Queria fazer aquilo, mas estou ocupada demais...”

“Farei aquilo quando terminar isso...”

“Mãe, estou muito ocupado, só tenho cinco minutinhos para falar com você...”

“Crianças, sabem que estou ocupada. O que vocês querem? Falem logo...”

"Sei que o plano estratégico é importante, mas estou ocupado demais com outra coisa agora...“

Alguma dessas frases soa familiar? O que aconteceu conosco? Como começamos a viver desta maneira?

O tempo é um recurso limitado. Será que realmente queremos desperdiçá-lo? Omid Safi, professor na Duke University, escreveu um artigo impactante intitulado “O mal de estar ocupado". Já o mencionei anteriormente, porém esse é um assunto que merece uma análise mais aprofundada pois é algo que dominou nossas vidas e faz com que nos esqueçamos do que é realmente valioso nos nossos lares e trabalhos. Safi diz que “...esses hábitos destrutivos começam cedo, muito cedo”. Não tenho certeza de como chegamos a este ponto, pois nos tornamos vítimas dessa síndrome. Quando perdemos a qualidade humana de estar realmente “presente”?

É interessante observar quantos livros há sobre como administrar o tempo. Será que gastamos mais de nossas preciosas horas lendo esses sábios conselhos em vez de colocá-los em prática? Talvez. Porém, reconhecemos que esse é um problema, ou dilema, com o qual precisamos lidar. Não sejamos mais vítimas do estar “ocupado demais” para sermos produtivos no trabalho e presentes em nossos lares.

Façamos algo a respeito... agora. É simples:

Delegue:

Pare de fazer tudo sozinho. Empreendedores (e mães) costumam cometer esse erro. Se você não contratou a pessoa certa para determinada tarefa, então esse é o problema. Você também pode contratar especialistas terceirizados para realizar tarefas pontuais que são necessárias em um momento específico.

Desista da perfeição:

Aprenda fazendo. Como publicado no site Entrepreneur.com, “Imagine se empresas como Uber e Airbnb tivessem esperado todos os componentes de seus negócios estarem perfeitos para expandir-se em novos mercados. Elas estariam exatamente no mesmo lugar onde começaram, perdendo tempo tentando entender tudo e esperando algo que nunca iria acontecer. Agora veja como ambas cresceram rápido graças a sua alta produtividade”.

Tente se desligar:

Perceba que comecei com “tente”. Eu sou vítima da minha tela. Confesso que sou mestre em dar uma “olhadinha” nos meus e-mails. Comprometa-se a desligar seus aparelhos quando precisar estar realmente presente. Meus filhos me deram uma pulseira que diz: "Eu estou presente". Isso fez eu acordar.

Planeje interrupções de acordo com a sua agenda:

Isso significa combinar com seus funcionários as horas que eles podem entrar em sua sala para conversar. Um almoço coletivo mais informal no escritório é perfeito para isso. Veja se consegue determinar um dia fixo para essa reunião toda semana, assim os funcionários saberão que têm aquele momento para falar pessoalmente com você (na verdade, até o Skype funciona bem para isso).

Conselhos para ignorar:

Muitos especialistas aconselham manter um diário detalhado com todos os seus pensamentos, conversas e atividades. Ah, claro... Se eu tivesse tempo de analisar tudo isso, teria mais tempo para fazer as coisas que eu realmente quero fazer. Que tal um meio termo? Faça uma lista com tudo aquilo que você realmente precisa fazer naquele determinado dia/semana. Se livre dessas tarefas da maneira mais eficiente possível. Pode ser que faça mais sentido parar no caminho do escritório para casa para comprar leite, em vez de ter que sair novamente, assim você provavelmente ganharia meia hora. Caso seja possível fazer uma reunião com um funcionário pelo telefone a caminho do aeroporto, agende isso. Passe o tempo do voo planejando e pensando. É um momento no qual você pode ficar a sós com seus pensamentos sem ser interrompido por e-mails. Não fique escrevendo planos, faça acontecer.

Depoimentos dos ricos e famosos:

O site Inc.com publicou um artigo chamado "Os segredos de 8 bilionários para administrar o tempo”. Não sei se fiquei mais sábio depois de ler esses conselhos. Por exemplo, Richard Branson recomenda que devemos liderar reuniões de pé; Andy Grove, ex-presidente da Intel INTC -1.15%, recomenda encerrar o expediente quando estiver cansado e não quando tiver terminado tudo. Mark Cuban, proprietário da Dallas Mavericks parecia aconselhar, “Nunca vá a uma reunião a menos que alguém esteja pagando". (Minha resposta é: “Dá um tempo, Mark, esse é um bom exemplo de porque algumas “pessoas ricas” são conhecidas por não terem coração.)

Warren Buffet foi direto ao declarar que “A diferença entre as pessoas bem-sucedidas e as muito bem-sucedidas é que as muito bem-sucedidas dizem “não" para quase tudo". Elas podem se dar ao luxo de dizer “não”. Meu conselho é dizer "não” para as coisas que tomarão seu tempo e que seus instintos lhe dizem não serem importantes para seu trabalho ou vida pessoal. Quando pedirem que faça algo, pergunte a si mesmo “Isso é realmente importante?”. Se a resposta for claramente “NÃO”, então já sabe o que dizer.

É como diz aquela antiga música do Cat Stevens (de quando ele ainda era o Cat Stevens), “Não é hora de mudar, desacelere, vá devagar...” Cuidado com o que diz sobre estar ocupado demais. Mude as palavras, as atitudes e consequentemente suas ações. Temos sorte de ter qualquer tempo.

E lembre-se que grandes nomes da história tinham exatamente o mesmo número de horas por dia que você tem. Vamos refletir um pouco sobre quantas horas pessoas como Albert Einstein, Madre Teresa, Martin Luther King, Helen Keller, e Gandhi tinham.